Trincas e Fissuras nas estruturas de paredes vigas e pilares


Um fenômeno construtivo muito comum é caracterizado pelo afastamento ou abertura do material em determinados locais, denominado fissura, trinca, rachadura ou fenda. Nem sempre esses fenômenos são patológicos. Muitos deles acontecem de forma natural, e com um olhar técnico é possível determinar as causas e as possíveis soluções. Abaixo listamos 10 destes fenômenos que você pode encontrar em uma construção: 1- Amarração em Parede-Pilar A parede de alvenaria e o pilar de concreto são dois conjuntos distintos, com composições e características diferentes. Com o tempo irão se deformar de maneira diferente de acordo com a força e temperatura. É necessário utilizar uma solução que promova rigidez no encontro da parede com o pilar. Essa fissura ocorre devido à existência de esforços de tração, que não são resistidos pela argamassa presente na alvenaria. Para resolver o problema, deve-se realizar a amarração com material resistente à tração, como por exemplo o aço.

2- Trinca em Alvenaria por Dilatação Um fissura horizontal ocorre muito facilmente nas alvenarias do último andar de edifícios, devido à exposição da superfície da laje à radiação solar, que faz o conjunto se dilatar e dessa forma tracionar as vigas. A fissura se dá, de maneira mais objetiva, na argamassa, elemento menos resistente do conjunto. Para evitar esta patologia, o engenheiro projetista da estrutura deve prever e projetar os elementos da região superior de forma que os mesmos consigam resistir ao máximo às dilatações. Além disso, ele deve saber que os materiais de impermeabilização, geralmente na cor preta, retêm calor e isso contribui para as dilatações da laje. 3 - Deformação de Viga Ao dimensionar uma viga de concreto armado, é previsto que a peça se deforme e fissure. As principais fissuras que ocorrem são devidas ao esforço de tração causado pela flexão. Existem também as fissuras devido ao esforço cortante, mais difíceis de se notar, pois esses esforços não são predominantes nas peças de concreto. Portanto, as fissuras do concreto podem ser previstas na fase de projeto, ao observar os diagramas de esforços. 4 - Cura Deficiente do Concreto No processo de endurecimento, o concreto perde água por evaporação e essa perda de água é prejudicial pois diminui diretamente a resistência do concreto, por dar espaço ao surgimento de poros e aberturas na estrutura.

5- Ascensão Capilar em Revestimento A impermeabilização dos baldrames (base das alvenarias) e fundações em geral serve para prevenir a ascensão capilar da água vinda do solo. A água poderá causar, entre outros problemas,o descolamento dos revestimentos da parede.A impermeabilização não garante que esta patologia não ocorra, pois, muitos fatores estão envolvidos. Para prevenir, realiza-se a cura, hidrata-se regularmente as peças de concreto. Existea probabilidade destas fissuras ocorrerem ainda que se realize a cura (mas em menor escala), devido à imprecisão do serviço e também das características dos materiais envolvidos. 6 - Ausência / Ineficiência de Verga Em uma parede (seja de vedação ou estrutural), o esforço predominante no conjunto é o de compressão (devido ao peso próprio). Ao se retirar umafração de material para abrir um vão para instalação de esquadria, esforços de tração surgem devido à tendência dos materiais se flexionarem.

7 - Descolamento de pintura Um dos problemas é caracterizado pelo descolamento da película de pintura. Isso pode acontecer devido à umidade, proveniente de infiltrações ou de ascensão capilar. Além disso, a ocorrência de enrugamento - ocorre devido à aplicação do material sobre superfície úmida.

8- Deformação do Gesso Assim como a parede de alvenaria, o gesso precisa ser “amarrado” às suas bordas, onde geralmente se localizam paredes e vigas, elementos sujeitos a deformações. Para prevenir esta patologia devem ser previstos mecanismos que permitam maior movimentação do conjunto, ou até mesmo formas de esconder as fissuras, e geralmente é feito o rebaixamento do forro.

9 - Retração de Argamassa A argamassa utilizada no revestimento de paredes e lajes sofre naturalmente perda de água por evaporação e o material, no momento em que é aplicado na superfície, encontra-se no estado fresco e com determinado volume. Na secagem, a perda de água faz com que o volume original seja reduzido, dando origem as fissuras.

Não é necessário tratá-las logo após o surgimento. Elas serão preenchidas posteriormente por massa corrida, onde é aplicado sobre o reboco para nivelar a superfície e promover a aderência necessária à aplicação da pintura. 10- Trinca em Alvenaria por Recalque Como as alvenarias encontram-se, geralmente, confinadas entre os elementos estruturais, elas “denunciam” o recalque diferencial de fundação por meio de longas trincas.Este tipo de trinca é muito perigosa, pois compromete a estrutura da edificação. Agora que conhecemos os principais fenômenos, sabemos que a ocorrência de trincas e fissuras é de certa forma um benéfico para a construção. O surgimento destas aberturas nos materiais “informa” ao técnico construtor o desempenho e o comportamento do objeto.

#Trincas #Fissuras #Construção #ConstruçãoCivil #Estruturas #Paredes #Vigas

Posts em destaque
Posts recentes
Arquivo
Procurar por tags